quinta-feira, 4 de abril de 2013

Look do dia: Avental

Diazinho danado de cheio esse!


Apesar da incrível presença da minha mãe e da minha irmã aqui em casa me ajudando com a Manu e nos trazendo ainda mais alegria, estou morta. Com farofa.

Passei o dia picando legumes, cozinhando, fazendo sopa, arrumando cozinha. Em alguns momentos, via o caos na minha frente. Só um milagre daria jeito na louça, porque eu, A Enrolada, não daria! Mas, no final, até que tudo deu certo e consegui fazer o que queria. Porque aqui, missão dada é missão cumprida, Zeromeia!

Resultado: quatro sabores diferentes de papinhas para a Manu, separados em nove fofos potinhos, e cozinha limpa! Para mim que sempre fui uma negação como dona de casa, tudo isso foi uma grande façanha! Palmas, por favor!

No entanto, hoje foi atípico, pois, por estar enrolada com os preparativos finais do batizado, resolvi deixar  muitas comidinhas prontas para usar em caso de necessidade. Final de semana será super corrido e aproveitei a presença das mulheres da minha vida para deixar tudo nos conformes!

Como não é sempre que tenho essas presenças luxuosas, tenho como aliada uma maquininha de fazer papinhas, da Béaba. Apetrecho bastante útil, trazido de fora pela minha irmã, que me ajuda a preparar, diariamente, tudo bem fresquinho para a princesa.

Com a aparência de uma cafeteira, para pequenas quantidades, ela é uma mão na roda. Cozinha os alimentos em água ou a vapor e depois os tritura. Tudo no mesmo recipiente. É, pequena, rápida, prática e suja pouca louça. Suas lâminas não transformam os alimentos em sopa, mas em pedacinhos bem, bem, bem miudinhos, conforme recomendação da pediatra.

Hoje, ela só entrou em campo na hora de fazer uma papinha de frutas bem gostosinha: suco de laranja, pera, maçã, banana e biscoito de maisena - #agordinhapira!

Depois de todo o furdunço na cozinha, quando minha família partiu, coube a mim – óbvio! - domar a fera e fazê-la dormir. A baixinha mal aguentava os olhos abertos, mas não queria, de jeito nenhum, sossegar o faixo. Pra quê, se estava tudo tão divertido, né?!

Mamou e o soninho, enfim, venceu. Mas quem disse que ela largava o meu colo? Era só ameaçar coloca-la em algum outro lugar bem mais adequado e confortável, que ela abria o berreiro e gritava mais alto que vocalista de banda de Heavy Metak! Gogó de ouro dessa menina!

E a batalha durou quase uma hora, até que a baixinha apagou na minha cama. E eu vim junto. Estiquei as pernas, descansei e pensei em muitos assuntos legais para falar por aqui. Mas meu cérebro só me permitiu fazer este simples relato do meu, nada original, dia de mãe.

Agora é esperar a Manu acordar para lhe dar a janta, aguardar o marido para papear e, mais tarde, dormir de verdade! 

Até já, Morfeu!

Para terminar, uma foto do meu Babycook:


3 comentários:

  1. Fico muito orgulhosa com sua desenvoltura!!! Nota mil nos quesitos mãe e dona de casa!!! Estou muito surpresa. Parabéns. Sei que não é fácil mas você está tirando de letra.

    ResponderExcluir
  2. Clap,clap, clap, clap, clap, clap, clap!

    ResponderExcluir
  3. uhuuuuu, parabéns!!
    parabéns!!!

    não é fácil mesmo... isso de preparar papinha é chato... eu não gostava, não... mas tem que ser feito e eu invejo as mães que acham fantástico providenciar tudo isso, parabéns!!!!
    sua maquininha é mara, hein?????
    Adorei!

    beijos grandes!!!

    ResponderExcluir